segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Amar é dar, receber, perguntar......


Vejo-te,
neste momento eterno e sonhador.
Sinto-te,
para comigo ficar a dor
de um dia infeliz
irradiado pela solidão do meu olhar
esperançado pelo teu calor,
abraçando-me suavemente,
porém, sem nada me dar.
E aqui choro,
sem rumo, sem rota, sem remos na harmonia,
para um dia te encontrar,
encontrar aqueles olhos verdes
olhando para mim,
dizendo que a nossa amizade vai terminar
para num novo mundo começar,
para o amor entre nós poder durar,
e para sempre,
no teu coração poder ficar
a amar, a sonhar,
a completar...
...a esperança de em algum lugar
podermos concretizar...

domingo, 23 de outubro de 2011

Receita para um dia feliz...



Em primeiro lugar, retire todos os ingredientes do seu coração, para verificar se não falta nenhum.

De seguida, coloque sete copitos de felicidade, o ingrediente principal, num tacho ao lume. Deixe-o aquecer, bem no centro do tacho, para que a receita ganhe paladar. Juntamente, coloque a vivacidade. Talvez três colheres de chá resultem, da verdade.

Depois, coloque uma colher de sopa de emoção positiva. Deixe o ingrediente espalhar pelo tacho, e misture tudo com uma colher de sonhos. Deixe um pouco de coragem para viver, para o bolo não se pegar ao tacho, e retire as preocupações que se foram criando ao longo da acumulação dos ingredientes.

Depois, coloque duas medidas de paz interior (as medidas estão dentro da embalagem da consciência), para o produto crescer. Deixe a fermentar entre quinze a vinte minutos.

De seguida, coloque cinco colheres de sopa de sorrisos. Claro, o que seria deste bolo sem um único sorriso? Estaria descoberto, como uma frágil árvore de folha caduca, aquecida por um sol invernil …

E, para finalizar, recorde-se de enfeitar o seu precioso bolo com carinho, amor verdadeiro, amizades únicas e um pouco de rebeldia. Mas seja cuidadoso, não a coloque em excesso!
E assim, sirva o seu bolo, ainda quente, num prato de bons momentos. Alimente o seu tacho interior, e aprecie a receita, pois não são todos os dias que se encontram á venda os ingredientes necessários para este manjar.

sábado, 22 de outubro de 2011

Dia de Vazio...


Hoje decidi que me vou fechar no meu mundo, para as portas do exterior... Decidi que o grande portão que me permite atravessar para lá do Mundo, hoje não se irá abrir...

Nem hoje, nem enquanto a penumbra pairar sobre as minhas paredes...
Hoje não quero nenhum momento de ternura: preciso de me fechar numa grande e profunda concha... Preciso de me rever e de interiorizar que caminho seguir...
Hoje não quero que a felicidade ocupe lugar na minha mente (e considero-me uma pessoa feliz!) ...
Mas hoje? Hoje não!Hoje quero perceber o que fazer, que caminho seguir e quero morrer para viver de novo....
Tenho dentro de mim um tormento que não consigo descarregar, e tudo parece tão simples para alguns....
E é tão difícil para mim... Hoje queria explodir, rebentar, e não deixar rasto...
Quero afastar-me, pois não entendo o sentido de te ter ao meu lado....
Hoje eu vesti-me de negro, por dentro, e não consigo sorrir...
Não aguento e sinto-me cansada de tentar perceber o que não tem explicação...
Sinto um vazio tão grande...Sinto que, às vezes, não vale a pena....
Sinto que, nem sempre, consigo ser tão forte como aparento... e isso irrita-me. (Eu é que devia mostrar-te que sei viver sem ti, mas não... Tinhas que me prender, tinhas que me fazer ser aquela menina frágil, que eu odeio ser...)E agora, como vai ser?Agora, quem vai lutar?Será que ninguém vai perder?E por que tem de ser assim?Tenho medos, inseguranças, dúvidas que me sobressaltam...
Intervaladas pela certeza do que sinto...
Mas sugadas pelo medo e pela ausência que se vai tornando constante....
Aqui ficam os pensamentos de uma louca que julga que, ultimamente, todos os seus dias são dias de vazio.....
E um dia, será que vais sentir saudades? Um dia, que seja...
Só um, para eu também conseguir ver essa tua fragilidade...."Nunca me vais perder..." - dizes...Não sei.... Fica a incerteza no ar, certificada por um perfeito vazio....Esse fica para sempre.....
e um dia, eu também ficarei....
...Mas não por muito tempo, pois o meu destino enfrentarei...
...E para junto da arma eu irei...

O primeiro post




Em primeiro lugar quero agradecer a todos os que lêem os meus textos e que gostam, mas também àqueles que não se interessam muito pela poesia ou pela prosa, mas que mesmo assim, os lêem e os sentem no coração.
Bem... é o primeiro post e não sei o que deva dizer... Chamo-me Lia e sou uma pessoa que tem grandes sonhos.
Por outro lado, sou uma pessoa bastante sensível (choro em quase todos os filmes e não queiram saber por quantas horas eu chorei devido ao Titanic...), e penso que isso se deve ao meu apego pelas artes... Digamos que as artes são a minha vida, ou a música, para ser exacta  Toco piano há 9 anos, e é o que quero seguir
da minha vida... Acho que o piano me transforma em quem eu realmente sou, e não imagino a minha vida sem o meu velho amigo Yamaha ;) Para além disso também tenho uma obsessão por desenho, canto, fotografia, escrita criativa, cosplay ou qualquer outro tipo de arte que se lembrem.
Bem, e esta é a altura de vos contar porque criei este blog. Eu adoro escrever, por isso precisava de um amigo, alguém que estivesse lá para me apoiar nos momentos difíceis (e nos momentos felizes também). Porém, devem-se perguntar porque lhe dei o nome de December... Dezembro é o meu mês preferido, amo o inverno e tenho pirofobia.
Mais uma vez, obrigada por lerem os meus gritos de socorro, alegria ou tristeza, todos aqui.
Deixarei o meu e-mail se me quiserem contactar: erika.lianne.brook@gmail.com
Um feliz dia para todos,
Lia.